Quantas vezes você faz sexo durante o mês? Saiba o que é normal

14 de agosto de 2018

Já se perguntou quantas vezes deve fazer sexo para estar dentro dos padrões considerados como normais? Essa é uma dúvida muito comum especialmente entre mulheres que gostam de agradar seus parceiros ou suas parceiras. Mas além de entender a “frequência ideal” para a vida sexual é preciso saber que transar faz bem para a saúde.

Por isso, o papo hoje é sobre os benefícios de fazer sexo, e também sobre como identificar e tratar a perda da libido. Algo que pode impactar sua qualidade de vida quando menos se espera. Pegue o seu cafezinho (sem excessos!) e boa leitura!

 

Quando a pergunta é quantas vezes fazer sexo

Como médica e praticante de um estilo de vida mais saudável, entendo que cada ser humano tem as suas próprias particularidades, como hábitos, necessidades e dificuldades. Então, a minha resposta para a pergunta sobre quantas vezes fazer sexo para estar dentro da normalidade depende da análise do histórico de cada um. Ou seja, o que é normal para uma pessoa, pode não ser para outra.

Se tem uma coisa que provoca inquietação entre a maioria das pessoas é a inevitável comparação sobre a rotina sexual. Isso acontece principalmente nas conversas entre amigos. Afinal, sempre tem aquele casal que transa mais de cinco vezes por semana e deixa todo mundo “com o queixo no chão”.

Nessa mesma hora surgem as dúvidas que vimos no começo deste conteúdo. Questionamentos que podem colocar em xeque, inclusive, a longevidade dos relacionamentos.

Pesquisadores da Universidade Carnegie Mellon fizeram uma relação entre a prática sexual e o nível de felicidade de um casal.

O que dizem as pesquisas?

Por incrível que pareça, quantidade não quer dizer qualidade.  Constataram que o aumento da frequência do sexo não melhora seu grau de satisfação.

Por isso, acreditam que cada casal deve responder à pergunta “quantas vezes fazem sexo?” de modo pessoal e que precisam praticar somente o que desejam. Afirmam que fazer sexo por obrigação diminui o desejo e a libido.

Entretanto, existem pesquisas que revelam a frequência sexual ideal de acordo com a faixa etária dos praticantes supondo que o número de relações deve decair ao longo dos anos.

Confira a seguir os resultados divulgados por um estudo realizado pelo Instituto Kinsey para Pesquisas em Sexo, Gênero e Reprodução, nos Estados Unidos:

  • jovens entre 18 e 29 anos têm, em média, três relações sexuais por semana;
  • já adultos de 30 a 39 anos, 1,6;
  • e, de 40 a 49 anos, a frequência cai para 69 vezes ao ano (ou 1,3 por semana).

A mesma pesquisa aponta ainda alguns fatores que podem agravar a queda da frequência sexual como o estresse do dia a dia, as obrigações familiares e profissionais, além da perda de aptidão física e mental. Condições que se avolumam por volta dos 30 anos de idade.

Agora, é curioso saber que um estudo apresentado no Congresso da Sociedade da Menopausa da América do Norte, em 2016, mostra que as mulheres melhoram suas vidas sexuais com a idade. Fato que pode ter relação com a autoconfiança que adquirem com o passar do tempo e da comunicação com o parceiro.

 

Benefícios de fazer sexo

Manter uma vida sexual ativa é importante não só para a saúde como também para o bem-estar físico e mental. Sabia que cada relação sexual pode gastar de 85 a 250 calorias em média? Fazer sexo emagrece, mas os benefícios não param por aí.

Vou falar melhor a seguir sobre como os hormônios produzidos pelo nosso próprio organismo durante o sexo podem trazer benefícios para a saúde.

 

1. Aumenta o prazer e o bem-estar

Já reparou como você, seja homem ou mulher, fica muito mais bem-humorada(o) depois de uma boa noite de sexo? A ciência e a medicina explicam: o aumento do prazer e do bem-estar são resultado da liberação de hormônios como dopamina e endorfina no cérebro.

 

2. Melhora da qualidade do sono

Outro ganho de fazer sexo diz respeito à qualidade do sono. Depois do orgasmo, o corpo libera um outro hormônio chamado prolactina. Ele promove o relaxamento. E para se ter ideia de sua efetividade, seus níveis podem superar a masturbação em 400% (!).

 

3. Promove o rejuvenescimento da pele

Quer parecer um pouco mais jovem do que realmente é? Então, saiba que esse é outro benefício da satisfação sexual e que tem a ver com o aumento da qualidade de vida. A secreção do hormônio do crescimento humano (HGH) e das endorfinas liberadas durante o sexo são fator preventivo contra rugas e flacidez.

 

4. Potencializa o nosso cérebro

Precisando melhorar a sua memória, fluência e execução no trabalho? De acordo com um estudo da Universidade de Oxford, no Reino Unido, esses são outros ganhos das relações sexuais frequentes. Além da função cognitiva ser melhorada, também há indícios de contribuições para a redução de processos inflamatórios e o crescimento de novas células no cérebro.

Como podemos ver, fazer sexo com frequência ajuda a combater a ansiedade e o estresse, além de melhorar a qualidade do sono e até mesmo o fluxo cerebral. Atenção: para compartilhar todos esses benefícios com seu parceiro ou sua parceira, não deixem de usar camisinha ou outros métodos preventivos para manter as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) bem longe de vocês.

Conhecer os benefícios do sexo faz ainda mais sentido quando nos relacionamos da melhor forma possível, não é mesmo?

 

E se o desejo sexual for embora, como tratar a perda de libido?

Antes de tudo, mantenha a calma. Saiba que esse é um problema comum em um grande número de mulheres. Só no estado de São Paulo, 48,5% das pacientes que buscam ajuda médica estão com disfunções sexuais devido à falta ou diminuição do desejo sexual, dor ou dificuldade para chegar ao orgasmo. O dado foi divulgado em 2016 pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.

Considerando que o corpo feminino depende de autoestima e outras substâncias para ter vontade de transar, a perda de libido pode indicar baixos níveis de hormônios como estrogênio, dopamina e serotonina.

De acordo com uma pesquisa do Hospital de Clínicas de São Paulo, a depressão está por trás de 40% dos casos de perda de libido. Mas, com um correto diagnóstico e tratamento, como o reequilíbrio hormonal, é possível voltar a ficar 100% em pouco tempo. Não deixe de buscar ajuda médica para obter um tratamento adequado.

Quer aumentar a libido para conseguir fazer sexo com uma maior frequência e melhor qualidade, além de aproveitar seus benefícios? Então, procure melhorar sua qualidade de vida e tenha atenção aos níveis hormonais.. Como resultado, poderá fazer sexo quantas vezes desejar. Descubra outros problemas de saúde que podem estar sendo provocados pelo desequilíbrio hormonal

Mais artigos que podem te interessar

Ficou com alguma dúvida?

Para esclarecer qualquer dúvida ou entender melhor como podemos atender às suas necessidades, entre em contato com a nossa equipe. Será um prazer poder ajudar você a conquistar um melhor estilo de vida!

  • Rua Jardim Botânico, 568 - Sl. 212
  • Jardim Botânico - RJ
  • (21) 2249-5001
  • (21) 2535-8862
  • (21) 9 8802-4293

× Contato via WhatsApp!